Home | Investigação | Objectivos | Actividades em curso | Orientação | Publicações

 

EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DOS PROPÁGULOS NO CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DA
CULTURA DO ALHO (Allium sativum)

Sumário do relatório final de estágio de
Jaime Ferreira
realizado no sector de Horticultura da UTAD sob orientação de D. Almeida
(English abstract)

O alho tem acompanhado o Homem ao longo dos séculos, quer como condimento quer como medicamento, ganhando cada vez maior importância as suas propriedades medicinais. O seu cultivo em larga escala no nosso país restringe-se a pequenas áreas nas regiões da faixa litoral de Esposende à Póvoa de Varzim, de Mafra e do Montijo. Ocupava, em 1995, 82 hectares com uma produtividade média de 10,7 toneladas por hectare. No entanto há uma grande produção na horta familiar para auto-consumo. Perante estes valores facilmente se compreende que a produção nacional é insuficiente para o nosso auto-abastecimento. A maior parte do alho consumido é importada, 2220 toneladas anuais com um custo de 442209 mil escudos em 1995, contribuindo para uma balança comercial francamente negativa. A maior parte desta quantidade é proveniente de Espanha, cerca de 1660 toneladas - 75% do total das importações. Aliando-se à escassa produção surgem as deficientes condições de conservação, que levam a perdas de cerca de 40% da produção. Todos estes condicionalismos vão reflectir-se em custos no consumidor: os preços por kg que em Julho rondam os valores de 260$00 a 320$00 sobem, em Maio-Junho, para 450$00-620$00. Perante esta pequena análise económica da situação, tendo o nosso país condições excelentes para o cultivo do alho, surge a necessidade de conhecer melhor esta cultura, identificar e tentar solucionar os seus problemas. Desta forma será melhorado o seu cultivo, com as respectivas repercussões económicas. Neste trabalho pretende-se estudar o efeito do tratamento térmico dos propágulos no crescimento e na produção desta cultura. Começa-se por abordar alguns aspectos da utilização e interesse social do alho e da sua comercialização a nível nacional e internacional. De seguida aborda-se a influência das baixas temperaturas na planta do alho, revendo-se os principais aspectos relacionados com este assunto. Os bolbilhos utilizados na plantação são de um ecótipo de alho branco bem adaptado às condições climáticas de Vila Real. Para tal seleccionaram-se os bolbilhos da parte externa da cabeça, em bom estado sanitário, tendo-se o cuidado de escolher propágulos com calibre o mais homogéneo possível. O peso médio dos bolbilhos foi 4,56 ± 1,15 g. Após a selecção, a quantidade total dos bolbilhos foi dividida em dois lotes iguais. Um lote foi submetido a um tratamento de frio à temperatura de 5 ºC, numa câmara com temperatura controlada. O outro lote foi colocado em armazém à temperatura ambiente, visto ser esta a situação normalmente verificada nos produtores. A duração do tratamento foi de 65 dias, aproximadamente os dois meses anteriores à data da plantação. O tratamento térmico a baixas temperaturas dos propágulos no crescimento e produção da cultura do alho produziu efeitos mensuráveis. A altura das plantas e o número de folhas verdes foi superior nas plantas tratadas a baixas temperaturas, anulando-se estes efeitos à medida que o ciclo cultural avançava. Também nas plantas tratadas se obteve ao longo do ciclo maior peso seco. Na produção final obteve-se um resultado de cerca de 40% MS, para as duas situações. As plantas não-tratadas produziram cabeças e bolbilhos, de fora e de dentro, em maior número. No entanto muitos destes bolbilhos de fora eram de dimensões reduzidas, pesavam menos de 1 g. Contudo as plantas tratadas produziram bolbilhos com maior peso, e também um menor número de bolbilhos de dentro. Assim a plantas submetidas a baixas temperaturas apresentaram qualidade comercial superior. Apesar de nas plantas tratadas surgirem mais precocemente as primeiras novas folhas, este efeito anulou-se ao longo do ciclo, de tal maneira que o número médio total de folhas produzidas foi igual nas duas situações. O efeito dos tratamentos térmicos depende não só do valor da temperatura mas também da duração dos tratamentos. Neste trabalho avaliou-se somente uma temperatura e um tempo de aplicação. Será necessário estudar outras relações temperatura/duração, avaliar os seus efeitos para se encontrar a que produza os efeitos mais desejáveis e elimine os indesejáveis. Outro possível estudo, talvez no seguimento dos anteriores, é avaliar e comparar a conservação dos bolbilhos produzidos consoante a sua origem em plantas tratadas e não-tratadas.


THE EFFECT OF THERMAL TREATMENT OF THE CLOVES ON GROWTH AND YIELD OF GARLIC
(Allium sativum)


Jaime Ferreira
(Portuguese abstract)


Garlic has been with mankind through the times, as a seasoning or as a medicine, gaining more and more importance its medicinal properties. Its cultivation in Portugal is made in the areas of Esposense and Póvoa de Varzim in at the north and Mafra and Montijo, near Lisbon in a area of 82 ha with a yied of 10,7 tons/ha. But there is a lot of production in familiar vegetable gardens. This national yield is insufficient for autosupply and so most of the consumption is supplied with imported garlic, mainly from Spain. Adding to this situation, there is the bad conservation conditions. In this work half of the cloves were kept at 5 ºC in a controlled temperature chamber. The other half was kept under the usual storage conditions used by growers (room temperature). This treatments were carried out during 65 days (approximately two months before plantation). As result of the cold treatment, in the cold-treated plants the plant’s height and the green leaves number was superior. These effects were canceled out along the life cycle. It was also obtained higher dry weight along the cycle in the cold-treated plants. At the final yield we obtained 40% of dry weight. Non-treated plants produced a larger number of bulbs and cloves (inside and outside cloves). However many of the outside cloves had very small dimensions, weighting less than 1 g. Despite this cold-treated plants produced weightier cloves and less inside cloves. So cold-treated plants produced bulbs with higher quality.