Home | Ensino | Investigação | Perfil Pessoal | Contactos

 

DISCIPLINA DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA

Programa e alguns apontamentos didácticos da disciplina da licenciatura
em Eng Alimentar, Escola Superior de Biotecnologia, UCP, Porto.

Apontamentos | Apresentação da disciplina | Programa geral | Programa detalhado

 

Alguns apontamentos didácticos
Conceito de agricultura
Evolução histórica da agricultura
Sistemas de agricultura
Arquitectura da vegetação
Índices bioclimáticos

Apontamentos das aulas - 2004/05


APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Nos sistemas de agricultura mais "primitivos", destinados à auto-subsistência existe uma identidade espacial entre a produção e o consumo, i. e. os produtos agrícolas são consumidos pelos próprios agricultores. No entanto, devido à sazonalidade da produção, à sua dependência das condições climáticas, torna-se necessário obter uma separação temporal entre a produção e o consumo, recorrendo a processos de conservação dos alimentos.

O desenvolvimento das civilizações urbanas obriga à separação espacial e temporal entre a produção e o consumo, que é possibilitada pelo Comércio Internacional e pela Indústria Alimentar. Além disso, estas actividades originam uma diversificação dos produtos, que assume um importante papel nas economias de mercado. Assim, a Indústria Alimentar assume um papel de intermediário entre a produção agrícola e o consumidor, incorporando valor acrescentado, permitindo regularidade do consumo.

No âmbito da orientação que daremos à disciplina de Produção Agrícola interessa-nos realçar duas características gerais das Indústrias Alimentares:

- são geralmente indústrias de baixo valor acrescentado (compare-se, por exemplo, com a indústria farmacêutica);

- são muito dependentes das características da matéria prima.

Mesmo quando a tecnologia pode corrigir alguns dos defeitos de uma matéria-prima com características desadequadas para a finalidade a que se destina, é necessário ter consciência dos custos adicionais que isso representa. A qualidade dos produtos agro-industriais depende da qualidade dos produtos agrícolas utilizados como matéria-prima.

Gostaríamos, pois, de iniciar a disciplina sensibilizando os alunos para o conceito de Gestão pela Qualidade Total (TQM do inglês Total Quality Management). É nesse sentido que propomos a leitura do artigo anexo* que introduzirá o conceito adaptando-o à qualidade da matéria-prima para a Indústria Alimentar.

O objectivo da disciplina de Produção Agrícola é fornecer elementos para a compreensão dos problemas específicos da produção agro-pecuária, introduzindo o vocabulário técnico, as principais condicionantes ambientais e sócio-económicas da produção, as operações culturais e o panorama da agricultura a nível nacional, europeu e mundial, de acordo com o programa anexo. Pretende-se que os alunos adquiram uma compreensão fundamentada da produção agro-pecuária, tendo sempre como cenário a produção de matéria-prima de qualidade para a Indústria Alimentar.

 

O docente

Domingos P. F. Almeida

 


PROGRAMA (Para detalhes sobre o conteúdo programático siga os links activos)

1- AGRICULTURA. HISTÓRIA E SISTEMAS DE AGRICULTURA

1.1- Evolução histórica da agricultura

1.2- Noção de sistema de agricultura

1.3- Principais sistemas de agricultura em Portugal

2- O MEIO AMBIENTE E A PRODUÇÃO AGRÍCOLA

2.1- O clima

2.2- Os factores do clima e o crescimento e desenvolvimento das plantas

2.3- Principais características do clima em Portugal

2.4- O solo

2.5- Génese e constituintes

2.6- Características físicas e químicas

2.7- O relevo

3- PRINCIPAIS TÉCNICAS DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA

3.1- Mobilizações do solo

3.2- Fertilizações e nutrição vegetal

3.3- Sementeiras e plantações

3.4- Protecção das culturas

3.5- Regas e drenagem

3.6- Colheita e pós-colheita

3.7- Integração das técnicas e produções na exploração agrícola

4- A PRÁTICA DAS PRINCIPAIS PRODUÇÕES AGRÍCOLAS

4.1- Culturas arvenses

4.1.1- Cereais de Inverno

4.1.2- Cereais de Primavera-Verão

4.1.3- Oleoproteaginosas

4.2- Forragens e pastagens

4.3- Culturas olerícolas

4.4- Fruteiras

4.5- Vinha

5- PRODUÇÕES PECUÁRIAS

6- A PRODUÇÃO E A POLÍTICA AGRÍCOLA

6.1- A propriedade agrícola e as estruturas de produção

6.2- Agricultura e ambiente

6.3- A política agrícola comum

 


PROGRAMA DETALHADO

 

CAPÍTULO 1- AGRICULTURA. HISTÓRIA E SISTEMAS DE AGRICULTURA

1.1- Conceito de agricultura

1.2- A agricultura no Mundo

1.3- Evolução histórica da agricultura

1.3.1- Origem da agricultura

1.3.2- Evolução da agricultura na Europa

- As técnicas do Noelítico

- A Revolução Agrícola dos séculos XVII - XVIII

- A Revolução Industrial e sua influência na agricultura

1.3.3- Evolução da agricultura em Portugal

- Período Ante-nacionalidade

- Período das Monarquias Absolutistas

- Período das Monarquias Liberais

- Período da Primeira República

- Período do Estado Novo

- Período da Segunda República

1.4- Sistemas de agricultura - noções

1.4.1- Sistema de cultura: o nível "parcela"

1.4.2- Sistema de produção: o nível "exploração agrícola"

1.4.3- Sistema de agricultura: o nível "região"

1.4.4- Organização da economia agrícola

1.4.5- Rotação e afolhamento

1.4.6- Principais sistemas de agricultura em Portugal

1.4.7- A energia nos sistemas de agricultura

1.4.8- Características das principais fitotecnias

1.4.9- Factores de escolha das produções

 

BIBLIOGRAFIA

CALDAS, E. C. (1991). A agricultura portuguesa através dos tempos. INIC. Lisboa.

BARROS, H. (1975). Os grandes sistemas de organização da economia agrícola. Livraria Sá da Costa Editora. Lisboa.

MOREIRA, N. (1986). Os sistemas de agricultura do Nordeste. IUTAD. Vila Real.

RIBEIRO, Orlando. (1987). Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico. Livraria Sá da Costa Editora, Lisboa.

TORRES, J. V. (1988). Introdução à história económica e social da Europa. Livraria Almedina. Coimbra. pp 163-169.

 


CAPÍTULO 2- O MEIO AMBIENTE E A PRODUÇÃO AGRÍCOLA

2.1- O clima

2.1.1- Factores do clima

2.1.2- Elementos do clima

2.1.3- Os climas do Mundo. Classificação climática de Köppen

2.1.4- A originalidade e especificidade do clima mediterrânico: consequências para a agricultura

2.2- Efeito dos elementos do clima no crescimento e desenvolvimento das plantas

2.3- Traços climáticos do território nacional

2.4- O solo

2.4.1- Pedogénese

2.4.2- Factores da pedogénese

2.4.3- Perfil e composição

2.4.4- Propriedades físicas e químicas

2.4.5- A água no solo

2.4.6- O balanço hídrico

2.4.7- Panorâmica dos solos de Portugal: características e ocupação

2.5- O relevo de Portugal

 

BIBLIOGRAFIA

DIEHL, R. (1975). Agricultura geral. Colecção Técnica Agrária. Clássica Editora. Lisboa.

ÉLIARD, J. L. (1979). Manual geral de agricultura. Colecção Euroagro. Publicações Europa-América. Mem Martins.

FEIO, M. (1991). Clima e agricultura. Ministério da Agricultura Pescas e Alimentação. Lisboa.

 


CAPÍTULO 3- PRINCIPAIS TÉCNICAS DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA

A formação do rendimento das culturas:

- Potencial teórico

- Potencial cultural

- Potencial produtivo agrícola

- Rendimento

3.1- Mobilizações do solo

3.1.1- Objectivos gerais das mobilizações

3.1.2- Tipos de mobilizações:

- Lavouras

- Pseudo-lavouras

- Mobilizações superficiais

- Amanhos

3.1.3- O conceito de mobilização mínima

3.2- Fertilizações e nutrição vegetal

3.2.1- Macronutrientes e micronutrientes

3.2.2- Os macronutrientes principais (N, P e K) na planta

3.2.3- Os macronutrientes principais no solo

3.2.3.1- O ciclo do azoto

3.2.3.2- O ciclo do fósforo

3.2.3.3- O ciclo do potássio

3.2.4- Fertilizantes: adubos e correctivos

3.2.5- Princípios da aplicação dos fertilizantes

3.2.5.1- A formulação adequada

3.2.5.2- A quantidade certa

- lei dos acréscimos decrescentes

- lei do mínimo

- equilibrio iónico

3.2.5.3- A altura adequada

3.2.5.4- A distribuição/localização correcta

3.2.6- Efeitos gerais da fertilização na qualidade dos produtos agrícolas

3.3- Sementeiras e plantações

3.3.1- O valor agrícola das sementes

- pureza

- faculdade germinativa

- valor cultural

3.3.2- Tipos de sementeiras

3.3.2.1- Sementeira directa:

- a lanço

- em linhas

- em covachos

3.3.2.2- Sementeiras em viveiros

3.3.3- Plantações

- repicagem

- transplantação

3.3.4- Épocas de sementeira e plantação

3.3.5- O enterramento da semente

3.3.6- Sequência tipo das operações

3.3.7- Densidade de sementeira e plantação

3.4- Protecção das culturas

3.4.1- O equilíbrio no ecossistema agrário

3.4.2- Os inimigos das culturas

- pragas

- doenças

- infestantes

3.4.3- Os meios de luta

- luta biológica

- luta biotécnica

- luta cultural

- luta genética

- luta química

3.4.4- O conceito de Protecção Integrada

3.4.5- A utilização dos produtos fitofarmacêuticos

3.5- Regas e drenagem

3.5.1- Estratégias de cultivo em condições semi-áridas

- a cultura de sequeiro

- a cultura de espécies arbóreo-arbustivas

- a cultura de regadio

3.5.2- Finalidades das regas

- regas de humedecimento

- regas de protecção

- fertirrigação

- regas qualitativas

3.5.3- Métodos e processos de rega

- regas por escorrimento

- regas por submersão

- regas por infiltração

- regas por aspressão

3.5.4- Regas localizadas: vantagens e inconvenientes

3.5.5- Drenagem

3.6- Colheita e conservação

3.6.1- Cereais e oleoproteaginosas

- a ceifeira-debulhadora

- o teor de humidade

3.6.2- Raízes e tubérculos

3.6.3- Forragens

3.6.4- Frutos e legumes

3.7- Integração das técnicas de produção na empresa agrícola

 

BIBLIOGRAFIA

AMARO, P e M. BAGGIOLINI (Eds). (1992). Introdução à Protecção Integrada. FAO/DGPPA, Lisboa.

DIEHL, R. (1975). Agricultura Geral. Colocção Técnica Agrária. Clássica Editora, Lisboa.

ÉLIARD, J. L. (1979). Manual Geral de Agricultura. Colocção Euroagro. Publicações Europa-América, Mem Martins.

SANTOS, J. Q. (1983). Fertilizantes. Fundamentos e aspectos práticos da sua aplicação. Publicações Europa-América, Mem Martins.

 


CAPÍTULO 4- A PRÁTICA DAS PRINCIPAIS PRODUÇÕES AGRÍCOLAS

4.1- Cereais de Inverno. Trigo, Centeio, Cevada, Aveia e o Triticale:

4.1.1- A cultura do trigo e da cevada

4.2- Cereais de Primavera - Verão: Milho, Sorgo e Arroz

4.2.1- A cultura do milho

4.3- Oleaginosas

4.3.1- Diversidade botânica

4.3.2- Principais óleos alimentares no mundo

4.3.3- A especificidade do azeite

4.3.4- Soja, colza e girassol: regiões produtoras e tipos de aproveitamento

4.3.5- A produção de girassol em Portugal

4.4- Culturas hortícolas

4.4.1- Pricipais produções nacionais e regiões produtoras

4.4.2- Importações e exportações de hortícolas

4.4.3- Estrangulamentos a produção de hortícolas frescos

4.4.4- Culturas de ar livre e cultura protegida

4.4.5- Técnicas de modificação do clima em horticultura

- Abrigos: quebra-ventos

                abrigos

                túneis

                estufas

- Cobertura do solo

- Semiforçagem e forçagem:

arejamento e ventilação

aquecimento

regas

iluminação e sombreamento

"fertilização carbónica"

4.4.6- Técnicas de modificação do solo em horticultura: os substratos

4.4.7- Horto-industriais:

                                a cultura do tomate

                                a cultura da batata

4.5- As fruteiras

4.5.1- Técnicas culturais características das culturas arbóreo-arbustivas:

4.5.1.1- Alguns métodos de propagação vegetativa:

- estacaria

- mergulhia

- enxertia

- micropropagação

4.5.1.2- Objectivos da enxertia: exemplos em diversas espécies

4.5.1.3- Poda: definição e objectivos

4.5.2- Principais culturas e regiões produtoras

4.5.3- A macieira, o pesseguiro e os citrinos

4.6- A vinha

4.6.1- Tipos de aproveitamento das uvas

4.6.2- A produção e consumo do vinho em Portugal e no Mundo

4.6.3- As regiões demarcadas: D.O.C. e I. P. R.

4.6.4- O ecossistema vitícola

4.6.5- A cultura da vinha

4.7- Forragens e Pastagens

4.7.1- Conceito e objectivos das culturas

4.7.2- As gramíneas e leguminosas

4.7.3- Principais culturas forrageiras

4.7.4- Principais processos de conservação de forragens:

                                                                                        - ensilagem

                                                                                        - fenação

4.7.5- Principais culturas pratenses

 


CAPÍTULO 5- PRODUÇÕES PECUÁRIAS

5.1- A alimentação animal

- ruminantes: bovinos, ovinos e caprinos

- monogástricos: suinos, equinos e aves

- eficiência da conversão energética dos alimentos em carne e leite

5.2- A criação de gado e o sistema de agricultura

- distribuição dos bovinos, ovinos e caprinos no país

5.3- A produção de leite

 


CAPÍTULO 6- IMPORTÂNCIA E DISTRIBUIÇÃO DAS PRINCIPAIS PRODUÇÕES
Nota: estes assuntos são abordados conjuntamente com a matéria dos capítulos 4 e 5.

6.1- A nível regional

6.2- A nível nacional

6.3- Na União Europeia

6.4- A nível mundial

6.5- Produtividades comparadas

 


CAPÍTULO 7- A PRODUÇÃO E A POLÍTICA AGRÍCOLA

7.1- A propriedade agrícola e as estruturas de produção

7.2- Agricultura e ambiente

                                        - impacto ambiental da agricultura

                                        - "agricultura sustentável"

7.3- A Política Agrícola Comum


© Domingos Almeida
Última revisão: 3 Junho 2005